Dream of some boys

"É mas fácil se sentir mal pelo que já passou do que se sentir bem pelo que esta acontecendo "

"Não sentiria falta se a pessoa de agora preenchesse o vazio da antiga"

Meu namorado tem mais idade que eu, ele fuma e gosta de filosofia, domingo em casa , gosta de cinema e é absolutamente encantado pela beleza das coisas pequenas…. um cheiro, um beijo, um carinho. Sem motivos. A gente tem planos compartilhados de passar férias longas em um país estrangeiro. Desses bem esquisito. A gente se entende pelo olho, pele, saliva, coração. Nosso tesão começa na alma. Só que explode.

Meu namorado tem o sorriso mais bonito do planeta terra. E quando sorri de cantinho (disfarçando pra eu não ver que ele não gostou ), eu finjo que fico bravo mas na verdade eu acho lindo. E ele me abraça de um jeito que me faz sentir mais perto de Deus. E a gente se encontra naquele intervalo entre as coisas que são ditas e as coisas que as palavras não alcançam… e se transubstancia… em galáxias, cores, cometas, estrelas… tudo ao mesmo tempo….

Meu namorado, às vezes fica na cama ronronando feito um gatinho, cheio de manha, até tarde enquanto pede mais um dengo emburrado. E a gente se embola num aconchego gostoso de quem esqueceu que segunda é dia de trabalho… e as histórias de domingo estampam sorrisos mudos que nos escorrem pelos olhos. E a gente chora sem lágrimas. E se sente meio como numa história de cinema. Francês.

Meu namorado apóia meus sonhos, mesmo que não concorde com eles. É um homem que admiro muito mais do que consigo expressar com palavras. Tem manias tão irritantes quanto lindas que nos rendem as mais diferentes histórias. Ele me ensina a ser uma pessoa melhor. E me entende quando eu não consigo. Porque ninguém consegue às vezes. Nem ele.

Com meu namorado cada dia é um mergulho. E eu não preciso ter medo, porque nosso desejo é enternecer nosso universo. De um jeito que a gente não entende, mas que de repente faz tudo parecer que tem sentido. E a gente se entende e escrevemos um dicionário de palavras distraídas. Entramos em um poema recente, ainda estranho e falamos de amor usando a metáfora mais inocente… E então agradecemos profundamente por esta outra pessoa inteira, que jamais será uma metade.

Quando? Onde? Quem? Eu não sei. Mas talvez, como numa metáfora de cinema, o mais importante seja mesmo a jornada e não a meta….

Sempre acreditei que as palavras são muito poderosas. E inventei uma lei: quem fala esquece, quem ouve não esquece. Na hora da raiva a gente fala pelos cotovelos o que dá na telha. Depois que a poeira baixa é que vamos perceber que fizemos muito barulho por nada.

Clarissa Corrêa.  (via alentador)

(Source: auroriar, via faabiojr)

E quando coloquei o pé pra fora de casa, percebi que eu não deveria nem ter levantado da cama naquele dia.

A culpa é mesmo das estrelas?  (via alentador)

(via faabiojr)